Conhecendo a “Internet das Coisas”

Inovação, futuro e inúmeras possibilidades!? Isso mesmo! Entenda o que é Internet das Coisas.

O tema Internet das Coisas (do inglês Internet of Things — IoT), é claramente um dos assuntos mais comentados no meio tecnológico. E é fácil saber o motivo, pois essa é uma das áreas com maior potencial para o futuro.

A IoT surgiu a partir dos avanços de variadas áreas como sistemas embarcados, microeletrônica, comunicação e sensoriamento. Ela logo se tornou uma das iniciativas mais interessantes e inovadoras da era digital.

A ideia principal é que diversos equipamentos, eletrodomésticos e outros objetos estejam conectados à internet, possibilitando a nossa interação com as coisas que nos cercam e até mesmo a interação delas com a gente. O que pode mudar o nosso dia a dia, a forma que vivemos e trabalhamos.

Como surgiu o termo?

O tipo de conexão Dispositivo para Dispositivo (Device to Device D2D), começou a ser pensado por Bill Joy, cofundador da Sun Microsystems, ainda em 1991, quando a conexão TCP/IP e a Internet que conhecemos hoje começou a se popularizar.

Porém, apenas em 1999, Kevin Ashton do MIT propôs o termo “Internet das Coisas”, um pioneiro tecnológico britânico que concebeu um sistema de sensores omnipresentes conectando o mundo físico à Internet, enquanto trabalhava em identificação por rádio frequência (RFID). Dez anos depois escreveu o artigo “A Coisa da Internet das Coisas” para o RFID Journal.

Com isso, esse termo ficou cada vez mais popular.

O que é Internet das Coisas?

É basicamente as coisas que utilizamos no dia a dia conectadas a internet e se comunicando entre si e com o usuário, obtendo dados através de sensores inteligentes e softwares que transmitem para uma rede.

Com esses registros, se conseguirá reduzir, otimizar e economizar recursos naturais e energéticos, por exemplo.

Segundo Ashton, assim será possível acumular dados do movimento de nossos corpos com uma precisão muito maior do que as informações de hoje. No ponto de vista dele, essa revolução será maior do que o próprio desenvolvimento do mundo online que conhecemos.

Aproveitando, veja esse vídeo onde a NIC.br explica o que é IoT:

Exemplos do que pode ser feito com Internet das Coisas

Embora seja dito que a IoT tem um potencial muito grande para o futuro, ela já é uma realidade. Várias empresas estão investindo pesado na aplicação desse conceito em diversos produtos, como por exemplo: relógios, carros, geladeiras, etc.

Alguns projetos são mais complexos e requerem um pouco mais de investimento, mas existem diversos exemplos de projetos que podem ser desenvolvidos por qualquer pessoa que esteja interessada em automatizar algum procedimento seja na sua residência, no seu trabalho, ou em algum equipamento, utilizando placas programáveis, sensores e atuadores que podem ser encontrados no mercado a um custo baixíssimo.

Neste primeiro exemplo, dar pra ter uma ideia de como as empresas estão integrando o conceito de Internet das Coisas aos seus produtos.

Veja por exemplo esse vídeo, sobre a geladeira inteligente da Samsung [Hands-on | CES 2016]:

Já este segundo exemplo, é a demonstração de um projeto caseiro, no qual um aluno desenvolveu um protótipo para apresentação do seu TCC utilizando ESP8266 modelos ESP-01 e NodeMCU (trataremos mais sobre estes componentes num próximo post):

Considerações finais

O mundo físico e o digital serão apenas um só, através de dispositivos que se comunicam entre si em data centers e suas nuvens. Aparelhos vestíveis, como o Google Glass e o Smartwatch 2, transformarão a mobilidade e a presença da Internet em diversos objetos.

Pensando em toda usabilidade, há algum tempo vêm surgindo algumas iniciativas, que envolvem empresas grandes, para unificar a Internet das Coisas.

Em dezembro de 2013, o Allseen Alliance contava com 51 empresas participantes, entre as quais estão nomes de peso, como LG, Panasonic, Qualcomm, D-Link e a Microsoft. No Brasil, o escritório do W3C, responsável pela criação do World Wide Web, a navegação padronizada por browsers, busca difundir a ideia de Internet das Coisas.

E em 2014, empresas como Dell, Intel e Samsung, se uniram. Eles pretendiam criar um protocolo comum para garantir o bom funcionamento da conexão entre os mais variados dispositivos.

Portanto, nos dias de hoje é possível observar um crescimento exponencial nos dispositivos da IoT, comumente conhecidos como aparelhos conectados à Internet.

Bom pessoal, por enquanto é isso!

Que tal deixarem aí nos comentários, o que acharam do post, críticas e elogios serão sempre bem vindos. Comentem sobre o seus interesses de iniciar nessa área e se acreditam no potencial da IoT.

Antes que eu esqueça, não deixe de seguir a Vídeos de TI nas mídias sociais, blz?

Vlw, até a próxima!